vd2 4.png
vd1 4.png

    O “GOsTO - um punhado de mandioca e um bocado de Cerrado”, criado em 2017, é um projeto de extensão e pesquisa que fomenta a conservação do bioma Cerrado por meio da perpetuação do saber fazer da culinária tradicional, especialmente no território do nordeste goiano e do sudeste do Tocantins.

    O projeto se desenvolve por meio de grupos de estudos, pesquisas, imersões e capacitações a partir do principal produto, o Festival Gastronômico de Arraias.

potes.png

Cerrado

O Cerrado, é para nós, a grande motivação! 

Respiramos Cerrado.

Comemos Cerrado,

Vivemos Cerrado!

panela,_abóbora_e_potes.png
Cerrado

Gastronomia

O GOsTO valoriza e fomenta a perpetuação das práticas culinárias tradicionais e o modo de saber/fazer que são passados de geração para geração. Acreditamos que nas práticas culinárias estão as memórias, as histórias e a identidade de um povo. Assim, a gastronomia surge para dar visibilidade às práticas já utilizadas de forma comum no cotidiano das comunidades tradicionais. 

Pilão
cesto.png
caju.png
Cultura

Cultural

Valorizar a cultura é valorizar a memória, a história e o saber fazer dos povos. Seus rituais religiosos estão quase sempre ligados a preparos culinários específicos.

Onde se come é tão importante quanto o que se come e de que modo.

Território

Antes da criação do estado novo em 1988, o nordeste goiano e o sudeste do Tocantins eram considerados uma só região.

Com relevo, paisagem e características culturais semelhantes, essa região permanece em conexão. Um território por muitos chamado de "corredor da pobreza"mas que carrega em sua essência uma riqueza infinita de recursos naturais, práticas culturais e habitat de distintas comunidades quilombolas.

Território

Edições Anteriores

    A primeira edição do evento ocorreu em dezembro de 2017, ainda de forma tímida, mas bastante significativa. Naquela ocasião, não tínhamos dimensão do alcance da proposta, no entanto, trabalhamos intensamente para a conquista do objetivo final.

    No balanço da primeira edição, em dois dias de evento e com dez equipes concorrentes, o evento recebeu em média 1.500 pessoas por noite e movimentou exatos R$ 9.571,00 somente com a venda nas barracas dos pratos concorrentes, excluindo os valores obtidos em bebidas e a renda gerada em toda a cadeia produtiva envolvida para essa ação. Foram ao todo, 1.555 pratos vendidos.

panelas (1).png

Registro dos pratos concorrentes - Edição 2017

pequi.png
 

  No ano de 2018 o evento já apresentava certa aceitabilidade da comunidade local e, consequentemente, atraiu olhares de novos parceiros. A edição contou com 17 equipes concorrentes, sendo o público aproximado de 3.500 pessoas e movimentação de R$ 15.872,00 na comercialização dos 2.129.

Registro dos pratos concorrentes - Edição 2018

panela,_abóbora_e_potes.png
potes.png

   Na edição de 2019, apesar de um público menor que nos demais anos, houve maior movimentação econômica, com R$19.720,00 a partir dos 2.665 pratos comercializados. Vale ressaltar que todo o valor arrecadado com a venda dos pratos nos dias do evento foi de posse e responsabilidade exclusiva dos participantes.

Registro dos pratos concorrentes - Edição 2019

caju.png
cesto.png

Imersões

vd2 4.png
 
potes.png